quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Top 5 de 2011 - Ná Mazzilli

Finalmente estou aqui para eleger os cinco melhores livros que eu li esse ano e só tenho uma coisa a dizer: Que dificuldade. É sério, eu li só cinquenta livros esse ano, mas pelo menos dez deles mereciam estar aqui. Então, espero que vocês estejam cientes de que eu selecionei os melhores livros não-muito-adultos que eu li. Ah, e também não tem ordem de preferência (isso seria apelação). 


A mulher do viajante no tempo - Audrey Niffenegger
Eu fiquei muito tempo querendo ler esse livro porque sabia que iria amar. E eu realmente amei. Achei a história a coisa mais linda e mais bem escrita do mundo inteiro. Fiz greve de conversa com a minha família por não ter ido ao Rio ver a Audrey na bienal e acho que isso mostra o quanto eu amei esse livro. É a minha cara e a Clare é incrível. É tudo incrível.

Anna e o beijo francês - Stephanie Perkins
Não conheço ninguém que não tenha gostado desse livro. Ele é doce, divertido, leve, engraçado e encantador. Quando comecei a ler, não conseguia parar e me apaixonei pelos personagens e pelas discrições de Paris. É o tipo de livro que você termina de ler e se pega sorrindo.

Um dia - David Nicholls
Não vou nem dizer que essa a minha história de vida, que eu sou muito parecida com a Emma, que eu realmente acredito que esse livro é tipo o meu manual do amor. Mas é tudo verdade. Basta dizer que ele é meu xodó, que eu adorei muito e acho essa história uma discrição perfeita sobre como a vida é, como o amor é e como as pessoas são. Claro, de uma forma divertida.


Minha vida fora de série - Paula Pimenta
Relutei um pouco pra colocar esse livro no meu top 5, porque ele sequer entrou para os meus favoritos da vida toda. Mas eu amo tudo o que a Paula escreve e amei esse livro, então fiquei com dó de não inclui-lo, já que ele ficou de fora da lista das meninas. A história é um amor e você se diverte muito lendo, porque é como se estivesse vivendo a própria vida - mas mais legal.

Eu, Christiane F., 13 anos, drogada, prostituída...
Sim, é um livro pesado. Não, não é um livro pra ser lido aos treze anos. Eu tenho só quinze anos mas já li coisas muito tristes e pensei que não ficaria impressionada, mas fiquei. Ainda assim, é escrito de uma forma muito simples e envolvente. Você se pega entendendo os dramas e os motivos de cada um dos personagens, mas acaba levando um "aviso" a mais sobre o quão destruidora é a droga. E eu tenho uma edição linda com fotos e tal, muito amor. Recomendo para todas as pessoas. 

Espero que tenham gostado! Esse foi o último post do primeiro ano da TB como blog... Desejo a vocês um feliz Ano novo e que 2012 seja repleto de livros e felicidade!


Beijos, Ná Mazzilli

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Top 5 de 2011 - Nic Kloss

Durante o ano, lemos muitos livros incríveis dos quais sempre lembraremos. Alguns marcam mais do que outros, sejam por suas histórias, personagens e até mesmo pela maneira que foram escritos. Então, assim como a Ká e a Ná (não deixem de conferir o Top delas!), irei escrever aqui para vocês, o meu Top 5 livros  favoritos deste ano.


A vida na porta da geladeira - Alice Kuipers.
É um livro curto, mas aqueles que te tocam bem no fundo. E dependendo da maneira que você vive, te emociona ainda mais do que o esperado. Resumindo em uma palavra, o livro é *lindo*. Mostra a história de mãe e filha com agendas lotadas e que não tem muito tempo uma para a outra, mas que tentam ter uma boa relação. Com a ocorrência de alguns problemas, nos leva a refletir sobre o que realmente aproveitamos em nossa vida, e como devemos aproveitar cada minuto dela, antes que seja tarde demais.

Cabeça de Vento - Meg Cabot.
Logo pelo título você vê que esse será um livro engraçado. É o que se comprova ao ler, tanto esse quanto a continuação "Sendo Nikki". A situação de Em-uma-menina-nerd-normal-se-transforma-em-uma-modelo-famosa é hilariante, pois a protagonista Emerson era totalmente contra essa indústria que impõe o consumismo, e no fim, depois de um acidente em que acaba tendo seu cérebro transplantado para o corpo da mais famosa modelo teen americana, ela se torna o principal rosto deste tipo de vida. Além dessa situação, os amigos de Nikki, bem como a irmã Frida trazem um toque de confusão (e diversão) ainda maior.

Coração de Tinta - Cornelia Funke.
Como disse na minha resenha (confira aqui) é um livro mágico, sobre livros e o poder deles. Impossível que um livro sobre livros tão bem escrito e tão encantador não entre para os favoritos de alguém - minha humilde opinião. Conhecer de perto seus personagens prediletos deve ser uma experiência única pela qual ainda sonho em passar, sem contar que ver eles fazerem parte do seu mundo e partilhar cada experiência disso com eles deve ser perfeito, não importa se sejam mocinhos ou vilões.
Lembra de mim? - Sophie Kinsella.
Particularmente adoro livros no estilo chick-lit, os da Sophie então, são os meus preferidos! A história é sempre leve e engraçada, te contagia tanto que você lê rapidinho. Com essa não foi diferente. O desespero de Lexi para descobrir o que tinha acontecido com ela depois de sofrer um acidente e perder a memória dos 3 últimos anos, além de tentar entender como sua vida deu uma volta extrema nesse pequeno período de tempo é hilário. Nada cansativo, muito bem escrito, não tem nem o que comentar sobre esse livro, a não ser pra dizer que o adoro completamente!
Coleção Percy Jackson e os Olimpianos - Rick Riordan.
Não sei porquê, mas gosto de protagonistas masculinos. O Percy então, é uma fofura, no primeiro volume em que ele tem apenas 12 anos já me apaixonei por ele! E ver todo o seu amadurecimento nos anos que ele passa no Acampamento meio-sangue ou mesmo fora dele, a relação com sua mãe, Annabeth e Grover também ajudaram para que eu gostasse ainda mais dele. Noto uma certa semelhança no estilo de "mundo fantástico inserido no mundo normal" com Harry Potter (pelo qual sou apaixonada!) e mas isso não desmerece o livro, já que um é sobre mitologia e o outro bruxaria.

Espero que tenham gostado do meu Top 5! :) Não deixem de comentar seus livros preferidos de 2011, hihi.

Beijos,  Nic Kloss.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

O que você está lendo? #2

Essa é uma coluna quase mensal, publicada aos dias 20 onde nós, blogueiras, contamos um pouco sobre o livro que cada uma está lendo no momento!

Ká Andrade 
O que está lendo: O código Da Vinci - Dan Brown
O que está achando: Na verdade, vou começar esse livro assim que possível. Estou numa fase super Brown e esse é o ultimo que tenho aqui. É uma edição ilustrada, que parece m-a-g-n-i-f-c-a. E, como vi o filme e gostei a probabilidade de gostar do livro é 1000x maior. Então, é isso.
Quote: -




Ná Mazzilli
O que está lendo: O milagre - Nicholas Sparks
O que está achando:  Ainda estou no começo, mas tô gostando. Parece um pouco diferente dos outros livros do autor (o que é inédito, porque pra mim ele escreve mil vezes a mesma coisa), mas ainda vamos ver, né. E uma observação: Carolina do Norte é o único lugar do mundo onde as coisas acontecem, Nicholas?
Quote:  -



Nic Kloss
O que está lendo: Kiki strike e a cidade das sombras - Kirsten Miller
O que está achando: Uma aventura de menina levada; me identifiquei muito, pois era assim com a mesma idade da protagonista e sempre sonhei em viver uma aventura nesse mesmo estilo. Apesar de nunca ter conseguido, é delicioso me aventurar nesse mundo de fantasia, de uma maneira que já quis que fosse realidade. Ainda não li muito, mas até agora, está me intrigando muito!
Quote: "Sempre achei que uma das maiores vantagens de ser menina é que a maioria das pessoas se recusa a levar você a sério. Enquanto os meninos devem ser constantemente monitorados e são sempre os primeiros suspeitos quando acontece alguma coisa errada, todo mundo espera que as meninas sejam obedientes. No começo é meio ofensivo,  mas as expectativas baixas podem ser uma benção disfarçada. Se você for inteligente, pode usar a imprudência das pessoas em benefício próprio. É incrível como você pode escapar quando ninguém se incomoda em vigiar."

Espero que tenham gostado! E vocês, o que estão lendo?

Beijos, Ná Mazzilli.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Top 5 de 2011 - Ká Andrade

Final de 2011, depois de um ano (no meu caso) com poucos livros lidos, nós daqui do blog resolvemos fazer o nosso Top 5 do ano! E o meu, está abaixo! Quero deixar claro que “A ORDEM DOS FATORES NÃO ALTERA SUA IMPORTANCIA” hehe Então, lá vamos nós (:


O peso do silêncio - Heather Gudenkauf

Este é um livro diferente da maioria dos livros que eu já li. A história é contada por diversos personagens, mas, foca principalmente numa garota de quatro anos que de repente parou de falar. Desta história, acredito que o “assunto principal” onde se pode tirar uma lição é o poder das palavras, do modo como elas são ditas e o que elas podem acarretar. Acredito, que é por isso que este livro está no meu Top 5!

A música que mudou a minha vida - Robin Benway

Ahhhh, essa foi uma das leituras mais fáceis que já fiz! Resolvi, em uma tarde de domingo que precisava ler alguma coisa, então baixei o ebook desse livro e em seis horas eu já havia terminado! É divertido, com uma escrita leve e fofa. A história relata a vida de Audrey que depois de terminar com o namorado, se torna o assunto de uma música que fica famosíssima e assim, sua vida vira de pernas para o ar! Está entre meus 5 livros de 2011, por isso, por ser daqueles livros rápidos de ler, mas que valem a pena.


Ponte para terabítia - Katherine Paterson

Li esse livro por ter me a-p-a-i-x-o-n-a-d-o pelo filme. Acho que minha maior motivação, foi a forma de como é a tratada a amizade e de como a nossa imaginação pode fazer das nossas vidas algo diferente. Ainda mais, penso eu, por ser uma história onde os personagens principais são crianças, que de sua forma, criaram seu próprio mundo. Assim, recomendo a leitura de Ponte para terabítia (que é um livrinho pequeno) para que de uma forma pequena possamos ver o poder na nossa imaginação.

A menina que roubava livros - Markus Zusak

Eu não leio livros que contam sobre História, guerras e essas coisas. Mas, já haviam me falado tão bem dessa obra que eu pensei: por que não?! Um dia encontrei com a minha irmã e ela havia acabado de terminar o livro e falou “Leia, você não vai se arrepender”. E, exatamente isso que aconteceu. Eu não me arrependi, eu amei. Acho que esse é o meu livro predileto. Liesel não teve uma vida fácil não, porém, ela nunca perdeu suas esperanças e sempre soube o valor do amor. Tem um enredo envolvente, personagens impactantes e uma lição de vida que vou carregar comigo para sempre. Então, tudo que tenho a dizer, é a mesma frase que se encontra na parte de trás do livro: “Quando a Morte conta uma história, você deve parar para ler.”


O caso dos dez negrinhos  - Agatha Christie

Acredito que um clássico não pode faltar em qualquer tipo de “Top”. E no meu, eu venho simplesmente com a mestre Agatha Christie! haha Enfim, essa história é muuuuuito boa, onde se tem muitas mortes e suspense total até a ultima página do livro. Bem escrita, sempre te deixa na duvida de quem é verdadeiro criminoso, mas não posso deixar de dizer que me surpreendi. Então, acredito que um suspense sempre cai bem, essa é a minha indicação!




Espero que tenham gostado! Não percam os posts da Nic e da Ná! E comentem, gente. O que acharam, qual é o Top 5 de vocês, com o qual mais se identificaram...
Beijos (e Feliz Natal!),

Ká Andrade

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

A garota dos pés de vidro - Ali Shaw

Editora: Leya
Autor: Ali Shaw
ISBN: 9788562936425
Número de páginas: 288
Sinopse: Cenários cinematográficos, paisagens paradisíacas, pântanos congelados com animais transformados em vidro, florestas brancas, penhascos monocromáticos, um oceano de baleias, lendas e águas-vivas. Este é o universo fantástico de Ali Shaw, autor britânico que renova as fábulas e cria uma inusitada história de amor.








 Esse é um livro diferente de tudo o que você já leu. Ou, pelo menos, de tudo o que eu já tinha lido. A história envolve uma ficção bastante peculiar, mas ainda assim a trama soa muito verossímil. Os personagens são construídos de forma bastante humana e o autor acaba ressaltando mais os seus pontos fracos.

 Fiquei muito interessada pelo fato de que tramas separadas acabam por se interligar de formas estranhas e curiosas. Acontecimentos acabam por revelar alguns acontecimentos do passado que revelam muito sobre a personalidade de cada um dos personagens. Aliás, esses acontecimentos parecem até “mortos”, mas ainda refletem no presente.
"Não há motivo. Não há explicação. As coisas acontecem, e só podemos tentar viver com isso."
 A escrita de Ali é muito intensa. Sinceramente, não sou muito fã de narrativa muito poética, então em alguns capítulos o primeiro parágrafo – que costuma ser descritivo – me deixou um pouco entediada. Ás vezes me perguntei se a história era mesmo fictícia, porque a dor e as alegrias pareciam tão reais.

 O livro não entrou para os meus favoritos e não sei explicar ao certo o motivo, mas talvez seja o fato de que o final, apesar de lindíssimo, não foi como eu gostaria. Mas não consigo imaginar nada melhor, então... Aliás, acho que algumas coisas ficaram meio mal resolvidas, sim.
"Me espanta que um simples alinhamento dos olhos possa causar tanta devastação."
 Talvez isso soe confuso para quem não leu o livro porque acabei de dizer que a história é muito verossímil, mas ela tem elementos muito estranhos e impossíveis! Enfim, vai ser uma resenha curta porque sinto que estou dizendo várias vezes a mesma coisa sem conseguir demonstrar o quão densa é a história desse livro.

 Resumidamente: Leia. É fantástico.



Beijos, Ná Mazzilli

domingo, 4 de dezembro de 2011

Coração de Tinta - Cornelia Funke

Editora: Cia das letras
Autor: Cornelia Funke
ISBN: 9788535907728
Sinopse: Há muito tempo Mo decidiu nunca mais ler um livro em voz alta. Sua filha Meggie é uma devoradora de histórias, mas apesar da insistência não consegue fazer com que o pai leia para ela na cama. Meggie jamais entendeu o motivo dessa recusa, até que um excêntrico visitante noturno finalmente vem revelar o segredo que explica a proibição. É que Mo tem uma habilidade estranha e incontrolável: quando lê um texto em voz alta, as palavras tomam vida em sua boca e coisas e seres da história surgem como que por mágica. Numa noite fatídica, quando Meggie era apenas um bebê, a língua encantada de Mo trouxe à vida alguns personagens de um livro chamado "Coração de Tinta". Um deles é Capricórnio, vilão cruel e sem misericórdia, que não fez questão de voltar para dentro da história de onde tinha vindo e preferiu se instalar numa aldeia abandonada. Desse lugar funesto, comanda uma gangue de brutamontes que espalham o terror pela região, praticando roubos e assassinatos. Capricórnio quer usar os poderes de Mo para trazer de "Coração de Tinta" um ser ainda mais terrível e sanguinário que ele próprio. Quando seus capangas finalmente sequestram Mo, Meggie terá de enfrentar essas criaturas bizarras e sofridas, vindas de um mundo completamente diferente do seu.

   Coração de Tinta é para aqueles que são apaixonados por livros, e também para os que não são começarem a ser. Meggie e Mo tem um amor incondicional pelos livros e cuidam destes com tanto amor e carinho quanto eu ou qualquer outro leitor assíduo. Devoram cada palavra com paixão, falam de livros com tanta emoção que você chega até a gostar mais de ler só pela maneira com que eles leem. E nesse livro, pai e filha conseguem realizar o sonho da maioria dos leitores: retirar de um livro seus personagens e participar dessa história com eles.

"Existe algo mais belo nesse mundo do que as letras? Sinais mágicos, vozes dos mortos, peças de mundos maravilhosos, melhores do que este. Elas consolam e espantam a solidão, são guardiãs de segredos, arautos da verdade..."

   Apesar de todos acharmos que seria maravilhoso poder encontrar um dos personagens de nosso livro favorito, não é assim que Mo vê as coisas. Após acidentalmente "trocar" sua esposa Teresa e seus dois gatos  por Capricórnio, Basta e Dedo Empoeirado enquanto lia para ela e Meggie "Coração de Tinta" , Mo toma a decisão de nunca mais ler um livro em voz alta. Por anos cria Meggie, sem jamais ler para ela, apesar de a menina insistir muito. Mas uma noite, quando Dedo Empoeirado surge para alertar que Capricórnio está atrás dele novamente para fazer uso de sua língua encantada, Mo vai para a casa de Elinor, uma tia de Meggie, tão apaixonada por livros quanto ele e sua filha. Mas os três acabam na aldeia de Capricórnio, na maior aventura de suas vidas, juntamente com personagens de outros livros, e o próprio autor de Coração de Tinta.

"Como Mo dissera: o orifício de escrever histórias tem algo a ver com a magia."

   O livro tem uma maneira maravilhosa de descrever todas as situações, lugares, personagens e sentimentos. Com uma narrativa encantadora, nos transporta para um mundo de sonhos, onde palavras escritas e ditas ganham vida.

"Os livros amavam a todos que os abriam, ofereciam proteção e amizade sem exigir nada em troca, e nunca iam embora, nunca, nem mesmo quando não eram bem tratados."


Beijos, Nic Kloss.


- Para quem tiver curiosidade,  a série tem mais dois volumes:  Sangue de Tinta e Morte de Tinta. Além do filme de Coração de Tinta.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Ler, viver e amar em Los Angeles - Jennifer Kaufman e Karen Mack


Editora: Casa da Palavra 
Autor: Jennifer Kaufman & Karen Mack 
ISBN: 9788577340972
Número de páginas: 320
Sinopse: Dora cura a sua tristeza lendo - às vezes por dias consecutivos. Separada pela segunda vez, sua vida se resume a ficar na banheira com vinho e livros - de Tolstoi a Mark Twain, de Flaubert a Jane Austen. Best-seller e livro cult na Costa Oeste americana mostra como a boa literatura pode ser reconfortante e um chave contra os momentos mais difíceis da vida. Tudo isso tendo como cenário a luxuosa Los Angeles, suas lojas, paisagens e ruas que moram no imaginário dos amantes de cinema e dos seriados de TV.


 O livro foi relançado com outra capa agora (que eu acho muito menos bonita) e o nome mudou para Ler, viver e amar. Mas eu aproveitei que estava barata a primeira edição e comprei, mesmo depois de ler várias resenhas negativas sobre a história. Afinal, quem lê bastante sabe exatamente o que é estar no lugar de Dora: quando você pega um livro pra ler, qualquer tristeza vai se esvaindo aos poucos.

 Uma coisa que eu quero muito destacar é que o livro foi escrito por duas autoras e eu tive a impressão de que elas dividiram seu trabalho em exatamente metade para cada uma. Provavelmente não foi assim, mas parece, porque a primeira metade é muito mais divertida, leve e literária do que a segunda metade.

 Não se pode esperar desse livro um romance ou um drama, porque ele é um chick-lit e, como todo chick-lit, é bobo e um pouco previsível. Mas ele tem um diferencial que me fez gostar muito mais dele do que eu costumo gostar de livros desse gênero, que é a personagem: Dora tem uma personalidade muito forte. Apesar de toda essa coisa de se refugiar nos livros e ignorar seus problemas, ela não é mais uma dessas mocinhas fúteis e dramáticas.
“(…) Os adoradores de livro vêm em seguida. Eles mantêm seus livros cobertos (e não porque são romances), usam marcadores de página e absolutamente nunca deixam o livro tocar o chão. Eles olham para o livro como se fosse um ser com sentimentos, um objeto de desejo vivo, que respira, que precisa ser tratado com absoluto respeito. Eles leem cada palavra, até mesmo as notas de pé da página.”

 A história é doce e divertida, mas tem alguns momentos realmente tristes. E, em minha opinião, não faltaram referências literárias: Todo capítulo começa com um trecho – ótimo – de livro e a protagonista fala bastante sobre livros, ainda que não fale disso o tempo todo (o que ficaria cansativo).

 O final ficou um pouco corrido e a história tomou rumos diferentes do que eu imaginava, mas ainda assim eu amei o livro. Quando terminei de ler, fiquei com vontade de reler na mesma hora, só pra curtir um pouco mais os porres literários de Dora. Não é o tipo de história que vai mudar a sua vida, mas com certeza vai te divertir!

Beijos, Ná Mazzilli

domingo, 20 de novembro de 2011

Paula Pimenta em Curitiba!

Oi gente!

Ontem participei de um talk-show com a autora Paula Pimenta na Livrarias Curitiba, no Shopping Palladium de Curitiba-Paraná. Paula é autora dos romances best-seller "Fazendo meu Filme" e estava aqui para o lançamento de "Minha vida fora de série" (cuja resenha você pode encontrar aqui). Minha irmã me acompanhou e gravou o talk-show, como o vídeo é muito comprido (quase 50 minutos gente! :o) vou transcrever aqui, a resposta da Paula para nossas perguntas e também das outras meninas da plateia. Espero que gostem!

Por que você escreveu "Minha vida fora de série?"
Paula Pimenta: Os leitores de Fazendo meu Filme vinham reclamando que a série estava chegando ao final, porque o quarto volume vai ser o último da série. Então eu queria continuar a história no mesmo universo ficcional de alguma forma, por isso eu escolhi uma personagem bem secundária de FMF e dar uma série só pra ela, para que de certa forma as outras personagens continuassem fazendo parte daquela história.  MVFS e FMF são história completamente distintas, você não tem que ler uma para entender a outra. E eu escolhi a Priscila exatamente porque a Natalia e a Gabi(melhores amigas da Fani) são muito próximas e por isso já sabemos a história delas, então não teria muita novidade para contar. E a Priscila é uma personagem que sempre estava ali mas ninguém sabia, ninguém via o que ela tinha para contar, e foi isso que eu quis mostrar com uma nova história.  MVFS se passa 3 anos antes de FMF1, pois ela tinha coisas para contar que tinham acontecido com ela aos 13 anos, então eu tive que voltar a história um pouquinho. Já na 2ª temporada, ela vai estar com 16 anos, então a série não vai ser tao linear quanto FMF.

Quando você decidiu que queria ser escritora?
Paula Pimenta: Eu gosto de escrever desde que aprendi, desde pequenininha eu saia fazendo poemas para a família inteira e no colégio Português sempre foi minha melhor matéria, além de minhas redações serem muito elogiadas. Então no vestibular eu resolvi fazer Jornalismo porque eu acreditava que quem gostava de escrever  deveria seguir esta carreira. Mas na faculdade os professores começaram a falar dos meus textos, que eles não eram muito do estilo jornalístico, que eles tinham que ser menos opinativos, pois dessa maneira, eles estavam mais para literatura e crônicas. Então passei a ver que eu queria escrever desse outro jeito, não no jornalístico. Transferi para Publicidade e me formei. Fui então convidada para ser colunista em um site de crônicas e lancei um livro de poemas, e sempre tentava escrever romances, mas não conseguia. Pois uma coisa é você escrever uma redação, e outra é você escrever uma redação de 400 páginas. Começava a me dar preguiça e eu acabava largando. Com FMF foi mais ou menos isso que aconteceu, eu escrevi 5 capítulos em Outubro/2004, e larguei. Aí em 2005 eu tive a oportunidade de morar um ano em Londres, onde fiz um curso de Escrita Criativa, específico para esse tipo de coisa. Nesse curso, aprendi muitas coisas que queria aplicar em algum lugar, então peguei os 5 capítulos de FMF que eu tinha e comecei a escrever, aplicando o que eu estava aprendendo. E eu digo que morar fora é muito diferente, poque aqui no Brasil temos muitas distrações, mas lá eu tinha a Fani para me fazer companhia, então escrevi o livro do começo ao fim. Eu acho que aprendi o caminho, porque depois que eu terminei, eu tive certeza que era isso que eu queria escrever, para sempre. Foi nesse momento em que eu terminei FMF1 que eu tive certeza que eu queria ser escritora.

Depois que você terminou seu primeiro livro foi muito difícil publicar?
Paula Pimenta: Foi. Como eu disse, escrevi ele no período em que estive em Londres, em 2005, e em 2006 voltei para o Brasil louca para publicá-lo. Até então eu achava que a maior dificuldade seria em escrever o livro, mas não, foi publicar mesmo. A primeira editora em que eu levei o livro(eu tinha impresso e encadernado) o dono de lá falou "Legal sim, vou publicar. Por 20 mil reais.". Ele nem leu. Aí eu falei que publicaria independente, poque assim eu recuperaria pelo menos um pouquinho do dinheiro. Na segunda, o editor também não leu, mas eu contei para ele do que se tratava o livro. Ele disse que tinha uma péssima notícia para me dar, que os adultos não iriam gostar do meu livro porque era muito superficial, e os adolescentes não liam livros grossos. Na época ainda não tinha Crepúsculo, mas tinha Harry Potter 5, e eu conhecia adolescentes que liam. Então falei para ele que ele estava enganado, e fui tentar mais uma vez em uma terceira editora. Começou o mesmo papo, a dona de lá também não queria publicar, não queria nem ler,  ela disse para eu mandar para as editoras maiores que publicavam infanto-juvenil, pois esse não era o estilo de lá, mas aí eu falei que tinha interesse em escrever o livro 2, que seria o intercâmbio da Fani. Aí ela já ficou mais interessada. Porque ela tinha dados de que os adolescentes do Brasil eram muito interessados em morar fora. E uma coisa é você dar para eles um manual do intercambista, e outra é você pegar uma história de uma menina que faz intercâmbio. Ela foi a primeira pessoa de editora que leu, e em uma semana me ligou dizendo que ia publicar sim, mas só no outro ano. Eu estava muito ansiosa querendo publicar, mas pensei "Bom, foi a única que me quis, deixa eu pegar.". Na verdade demoraram dois anos para a publicação, e a primeira tiragem com 1.000 exemplares demorou um ano para vender. Depois, já lançamos o segundo volume e a nova tiragem do primeiro, de 3.000 exemplares, que esgotou em 3 meses. A partir daí foi uma bola de neve. Com MVFS a tiragem de 5.000 exemplares esgotou em uma semana. No começo foi muito difícil, mas depois... Acho que tudo na vida é assim. A gente recebe muito não, mas a gente não desiste e uma hora a coisa vai.

Quando você está escrevendo, você tem algum bloqueio criativo? Não sabe que rumo dar a história e tira um tempo para pensar?
Paula Pimenta: Tem. Tem dia que a inspiração não bate de jeito nenhum. E acho que esse é o problema do primeiro romance, a gente deixa para escrever na hora em que estivermos inspiradas. E isso não acontece com frequência, por isso demora tanto. Agora como eu tenho prazo, eu tenho que escrever quando estou com inspiração ou não. Então eu faço coisas para despertar essa inspiração, eu coloco uma música que tenha a ver com o que eu quero escrever, leio o livro de novo até onde estou para pegar embalo, mas isso acontece sim, tem dias que não dá mesmo, e eu vou assistir um filme ou alguma coisa assim para sair daquilo também, porque a gente precisa né.

No início de cada capítulo de MVFS e FMF, sempre tem uma frase de filme ou série. É muito difícil encontrar uma frase que tenha a ver com o que você está querendo dizer?
Paula Pimenta: É difícil. Eu faço isso no final, na hora que eu termino de escrever o livro todo, com poucas exceções, que eu lembro de alguma cena e anoto para não esquecer. Mas a maioria eu vou em busca quando termino o livro. Primeiro pesquiso nos filmes e séries que eu tenho, também pesquiso na internet e as vezes eu lembro de alguma cena que eu acho que combina e assisto de novo. O mais difícil é que algumas vezes tem duas ou mais citações que combinam perfeitamente com o mesmo capítulo, e dá aquela dúvida para escolher. Já para outros é difícil encontrar uma frase. Como eu sempre tento colocar frases de filmes e séries que eu gosto, nesses casos as vezes eu preciso ir atrás de outros. Em alguns poucos capítulos, eu tenho que achar alguns filmes que eu gosto mais ou menos, porque nos que eu gosto não tem nenhum.

Como FMF é muito ligado a filmes, você gostaria que ele se tornasse um?
Paula Pimenta: Gostaria, e estamos vendo essa possibilidade. Já tem produtores interessados e um roteirista que está fazendo a adaptação. E olha, eu acho que vai acontecer mesmo, só que é um processo lento, pois um filme envolve muita coisa, como patrocínio e tudo mais. Então eu acho que vai acontecer sim, e quero que seja um filme legal, e não um "filminho". Mas ainda demora um pouquinho.

Como é o seu processo de escrita? Você faz um roteiro ou vai escrevendo a medida que a história vai fluindo?
Paula Pimenta: Eu geralmente tenho uma história básica na cabeça, principalmente o que eu quero que aconteça no fim. Mas a medida que eu vou escrevendo é que as ideias vão surgindo. O final eu já tenho em mente, só tenho que construir uma ponte até lá. Eu até recomendo isso. Às vezes as pessoas me pedem dicas para escrever, e eu falo "Escreve o final, porque depois você só tem que chegar até lá."  Às vezes eu escrevo alguns capítulos soltos, coisas que eu quero que aconteça, e depois adapto com as outras ideias que vão surgindo.

Você tem uma rotina de escrita?
Paula Pimenta: Eu escrevo o dia inteiro e durmo pouco, umas 5 horas por noite. No momento da escrita me dedico só a aquilo, e como eu disse, quando tenho bloqueio faço algo para me distrair. FMF3 foi um livro muito denso, que me deu muito bloqueio, pois aconteceram coisas que eu não queria, mas eram necessários para a história, por conta disso, demorei 5 meses para escrever. Mas a minha média agora que eu tenho prazo é de mais ou menos 2 ou 3 meses.

Você já tem alguma ideia para algum livro que não esteja na esfera de FMF?
Paula Pimenta: Tenho várias ideias, até mesmo para escrever durante a série MVFS. Um livro com um quê de fantasia, mas nada com superpoderes. Também penso em uma protagonista mais adulta, além de um protagonista masculino, que os meninos pedem muito. Já tenho esses três em mente.

Eu queria saber de onde você tira inspiração para as suas personagens, se são de seus amigos, ou livros e séries que você lê ou assiste.
Paula Pimenta: Para FMF eu inicialmente tirei ideias de pessoas que eu conhecia, a Fani tem muito de mim, mas mais da pessoa que eu sou hoje do que da adolescente que fui, eu era mais parecida com a Natália. Mas as melhores amigas da Fani foram inspiradas em duas amigas de adolescência, eu tinha uma que era bem sabichona, que sacava tudo antes das outras pessoas como a Gabi, e outra que gostava de um menino que não dava bola para ela, e ela continuava correndo atrás dele como a Natália.. Eu tenho um amigo que gosta de gravar músicas e entregar para as pessoas, e me inspirei nisso para o Leo. A mesma coisa com o livro, tirei algumas coisas da minha própria vida, por exemplo eu também gostei de um professor, fiz intercâmbio, mas depois esses fatos foram tomando outro caminho, deixando de ser o que eu havia passado, e se tornar o que a Fani passou. Com a Priscila, me inspirei um pouco na minha prima que começou a namorar cedo e namorou durante durante muitos anos, só que para MVFS as personagens já existiam, e essa característica foi a única que eu precisei adicionar. 

A Priscila tem vários animais de estimação que ela adora, você também tem algum?
Paula Pimenta: A Fani tem muito de mim, sou muito introspectiva, sonhadora, adoro cinema. Mas a característica que a Priscila tem de mim é justamente essa paixão por animais. Eu tenho 7 cachorros e um gatinho.

Você dá opinião na capa dos livros ou a editora que elabora?
Paula Pimenta: Não, eu dou opinião sim. O designer lê o livro e me pergunta o que eu acho mais marcante no livro e eu passo para ele uma lista de elementos que eu acho importantes e ele elabora algo em cima disso.

Quais autores te influenciaram?
Paula Pimenta: Meg Cabot foi a primeira que me fez querer escrever nesse estilo, porque sou apaixonada pelos livros dela. E Martha Medeiros, adoro especialmente as crônicas e poesias dela.

Qual o seu livro favorito que você escreveu e de outro autor? E o seu filme e série?
Paula Pimenta: Meu livro favorito é o Fazendo meu Filme 1, porque tenho uma relação afetiva, por ter mais coisas da minha vida nele. E de todos é Griffin e Sabine - Uma correspondência extraordinária. O filme tenho dois: De repente 30 e A dona da história. E séries... Atualmente eu diria que Glee.

Que dicas você daria para uma aspirante a escritora?
Paula Pimenta: Eu acho que a gente devia escrever sobre o que a gente gosta. O estilo que você mais gostar de ler, é o estilo que você vai escrever. Além de escrever sobre o que você conhece, como em uma cidade que você mora, porque você vai saber descrever bem o lugar. E também ser persistente, pois quem desiste de primeira de publicar seu livro, não consegue. Não pode ter medo de crítica, precisa aceitar as opiniões, pois elas são muito importantes.


Qual o seu maior sonho enquanto escritora?
Paula Pimenta: Que cada vez mais pessoas conheçam e gostem dos meus livros. E também a produção do filme é um sonho atual.




- Fazendo meu Filme 4 tem seu lançamento previsto para o final de Março/2012.
- Minha Vida Fora de Série - 2ª temporada deve lançar em Agosto/2012, e a série está prevista para ter 4 volumes, mas segundo a autora, a série ainda pode crescer.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                    
                                                                                          Beijos, Nic Kloss.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

"Ler devia ser proibido"

Oi! Já estão participando do sorteio? Então tudo bem.
Hoje vim mostrar para vocês um vídeo que assisti há algum tempo atrás e pelo qual fiquei apaixonada desde a primeira vez em que vi. É um texto muito bonito e bem-humorado e tenho certeza de que todas nós, apaixonadas por livros, entendemos perfeitamente o que o vídeo quer dizer!

Espero que gostem!

Beijos, Ná Mazzilli

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Cidade dos ossos - Cassandra Clare

Quer ganhar esse livro? Participe do sorteio!
Editora: Galera
Autor: CASSANDRA CLARE
ISBN: 9788501087140
Número de páginas: 462
Sinopse: Um mundo oculto está prestes a ser revelado... Quando Clary decide ir a Nova York se divertir numa discoteca, nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria. 


 Esse livro é o primeiro da série Instrumentos mortais e, para ser sincera, eu tenho um certo receio com primeiros livros. Porque sempre acho que o livro só enrolou para os próximos e não aconteceu nada, ou o livro é tão bom que não sobra história pro próximo. No entanto, a Cassandra conseguiu equilibrar bem entre os dois extremos.

 A história em si é muito bem construída e fácil. Há romance, fantasia e mistério. Na verdade, eu só passei a gostar realmente do livro depois da metade, pois na primeira metade há bastante mistério e isso costuma me irritar. Mas não foi nada que realmente incomodasse a ponto de estragar o livro. Especialmente porque no final as peças do quebra-cabeça se encaixam aos poucos e o leitor fica maravilhado.

 Quanto a narrativa, eu não diria que é exatamente leve, porque algumas partes demandam atenção para serem compreendidas. Mas, ainda assim, é muito agradável. A autora conseguiu prender a minha atenção, mas achei que ela não é muito boa em descrição: Ás vezes o cenário soava confuso demais e eu precisava seguir a leitura sem imaginá-lo muito bem.

 Uma coisa muito interessante na história é que estão incluso muitos tipos de criaturas sobrenaturais, além dos Caçadores de Sombras, e é tudo visto de uma forma um pouco diferente do que estamos acostumados. Isso torna o livro mais recheado de fatos e acontecimentos.
"Eles estavam próximos o suficiente para se beijar. Mesmo assim, ele a segurou com firmeza, como se quisesse se certificar de que ela fosse real."
 Eu poderia dar cinco estrelas para esse livro, e realmente gostaria de dar, não fosse pelo final. Não é que eu não tenha gostado, eu gostei bastante e entendo que nem tudo poderia se resolver, para ter história pros próximos livros. Mas há um detalhe especial no final que me deixou chocada e um pouco decepcionada, porque perdeu um pouco a graça pra mim.

 Para saber qual é esse detalhe... Só lendo! E esse é um livro que eu realmente recomendo, especialmente para quem gosta de fantasia, porque ele é ótimo.



Beijos, Ná Mazzilli

domingo, 30 de outubro de 2011

Promoção: 3 anos de TB!

Vocês leram direito, sim. No dia 04 de Novembro vai fazer 3 anos que a comunidade no Orkut foi criada e, para comemorar, nada mais justo que a primeira promoção no blog! A promoção vai ser em sorteio, então é muito fácil participar. Espero que vocês participem e aproveitem porque o prêmio é muito legal e precisamos do apoio de vocês, já que o blog ainda está nos seus primeiros meses.

O prêmio são os dois primeiros volumes da série Instrumentos mortais!

As regras são:

  • Seguir o blog no GReader (ali do ladinho)
  • Divulgar nosso blog!
  • Comentar nesse post dizendo seu nome, e-mail e twitter e o link de onde divulgou :D
Muito fácil, né? A promoção vai até o dia 04 de Dezembro e o resultado sairá na mesma semana. Participem!

Beijos, equipe TB

Noites de tormenta - Nicholas Sparks

Editora: Novo Conceito
Autor: Nicholas Sparks
ISBN: 9788599560518
Número de páginas: 176
Sinopse:  Noites de Tormenta acompanha as vidas de Adrianne Willis e Paul Flanner. Ela, uma mulher de 60 anos que dedicou sua vida aos filhos, netos e ao trabalho, e que ainda acredita em amor como condição essencial para uma vida plena. Ele, um médico conceituado com problemas de relacionamento com o filho. Ela busca refúgio em Rodanthe, pequena cidade na Carolina do Norte, indo passar um fim de semana na pousada de uma amiga. Ali espera encontrar a tranqüilidade de que precisa desesperadamente para refletir sobre os conflitos que a angustiam: seu marido pediu para voltar para casa e sua filha adolescente critica todas suas decisões. Pouco depois de sua chegada, ouve-se a previsão de uma grande tempestade, e o Dr. Flanner chega à cidade. Único hóspede da pousada, ele não está atrás de um final de semana de descanso, e sim enfrentando uma crise de consciência. Agora, com a tempestade se aproximando, eles procuram consolo um no outro e, em um final de semana mágico, iniciam um romance que trará mudanças para ambos, repercutindo pelo resto de suas vidas.



O livro é bastante curto e tem menos de duzentas páginas, por isso eu o li em menos de dois dias. A narrativa de Nicholas permanece simples e agradável, mas está longe de ser o melhor livro dele. Talvez pelo fato da história ser tão rápida, alguns detalhes se perderam e o foco ficou muito para o passado.

 Aliás, os livros do Nicholas costumam ter essa mudança de tempos, indo do passado para o presente. Normalmente isso me agrada, mas nesse livro acho que ele deixou a desejar e poderia ter se aprofundado muito mais nos fatos presentes, na trama da família, na descrição dos filhos e nos momentos que se seguiram depois que o livro terminou.

 De fato, o passado teve uma história maravilhosa e emocionante que, apesar de curta, foi intensa o bastante para ficar marcada. No entanto, o final ficou muito previsível, especialmente para quem já leu outros livros do autor. Também achei que ficou um pouco irreal, pois as coisas se resolveram muito depressa depois de anos empacadas.

"Por mais difícil que tivesse sido, por mais terrível e injusta que a vida me parecesse, nunca trocaria os poucos dias que passei com ele por nada deste mundo".

 No geral, é uma leitura sucinta e emocionante, mas que poderia ter sido muito melhor trabalhada. Sugiro o livro para quem gosta de livros com poucas páginas mas, se não for o caso, os outros livros do autor me agradaram muito mais!

Beijos, Ná Mazzilli





terça-feira, 25 de outubro de 2011

Lançamentos literários #1

Oi gente! Tudo bem?
Hoje eu estou aqui pra atualizar um pouquinho vocês sobre as novidades do nosso mundo - o da literatura!
Enfim, vou falar sobre alguns lançamentos que parecem ser dignos de leitura hahaha
Então vamos lá! Vou fazer um TOP 5 =D (mas a ordem não remete à nada, ok?)


O hipnotista - Lars Kepler
Editora Intrínseca
O massacre de uma família nos arredores de Estocolmo abala a polícia sueca. Os homicídios chamam a atenção do detetive Joona Linna, que exige investigar os assassinatos. O criminoso ainda está foragido, e há somente uma testemunha: o filho de 15 anos, que sobreviveu ao ataque. Quem cometeu os crimes o queria morto: ele recebeu mais de cem facadas e está em estado de choque. Desesperado por informações, Linna só vê uma saída: hipnose. Ele convence o Dr. Erik Maria Bark – especialista em pacientes psicologicamente traumatizados – a hipnotizar o garoto, na esperança de descobrir o assassino através das memórias da vítima. É o tipo de trabalho que Bark jurara nunca mais fazer: eticamente questionável e psicologicamente danoso. Quando ele quebra a promessa e hipnotiza o garoto, uma longa e aterrorizante sequência de acontecimentos tem início.

A intuitiva - Hannah Howell
Editora Lua de Papel
Obra que conta uma história sobre como o poder do destino e do desejo pode realizar coisas aparentemente impossíveis. Inglaterra, no século XVIII. Assim como a maioria de seus familiares, a bela e jovem Alethea Vaughn Channing possui dons especiais. Desde pequena ela tem visões recorrentes de um homem desconhecido. Passados 15 anos desde a primeira visão, ela prevê um risco iminente de morte. Ela precisa encontrá-lo, contar sobre sua visão e convencê-lo de que corre perigo... 

O trono de fogo - Rick Riordan
Editora Intrínseca
  • Os deuses do Egito Antigo foram libertados, e desde então Carter Kane e sua irmã, Sadie, vivem mergulhados em problemas. Descendentes da Casa da Vida, ordem secreta que remonta à época dos faraós, os dois têm poderes especiais, mas ainda não os dominam por completo - refugiados na Casa do Brooklin, local de aprendizado para novos magos, eles correm contra o tempo. Seu inimigo mais ameaçador, Apófis, está se erguendo, e em poucos dias o mundo terá um final trágico. Para terem alguma chance de derrotar as forças do caos, precisarão da ajuda de Rá, o Deus Sol. Despertá-lo não será fácil: nenhum mago jamais conseguiu. Carter e Sadie terão de rodar o mundo em busca das três partes do Livro de Rá, para só então começarem a decifrar seus encantamentos. E, é claro, ninguém faz ideia de onde está o Deus. 


Círculo secreto - L. J. Smith
Editora Galera
A história começa quando Cassie se muda da Califórnia para New Salem, depois de passar as férias em Cape Cod, e começa a se sentir estranhamente atraída pelo grupo de jovens que domina sua nova escola. Cassie logo é iniciada no Círculo Secreto, uma irmandade de bruxas que controla a cidade há séculos, numa aventura ao mesmo tempo fascinante e mortal. Ao se apaixonar pelo sombrio Adam, será preciso escolher entre resistir à tentação ou lutar contra forças obscuras para conseguir o que deseja - mesmo que um simples passo em falso possa significar a sua destruição.


Bela Maldade - Rebecca James
Editora Intrínseca
Após uma horrível tragédia que deixou sua família, antes perfeita, devastada, Katherine Patterson se muda para uma nova cidade e inicia uma nova vida em um tranquilo anonimato. Mas seu plano de viver solitária e discretamente se torna difícil quando ela conhece a linda e sociável Alice Parrie. Incapaz de resistir à atenção que Alice lhe dedica, Katherine fica encantada com aquele entusiasmo contagiante, e logo as duas começam uma intensa amizade. No entanto, conviver com Alice é complicado. Quando Katherine passa a conhecê-la melhor, percebe que, embora possa ser encantadora, a amiga também tem um lado sombrio. E, por vezes, cruel. Ao se perguntar se Alice é realmente o tipo de pessoa que deseja ter por perto, Katherine descobre mais uma coisa sobre a amiga: Alice não gosta de ser rejeitada...



  • Então, é isso! Queria avisar que pelo site do submarino todos esses livros já foram lançados!
  • E você? Vai comprar algum? Se interessou por alguma das novidades? Comente!

  • Beijos, Ká Andrade
  • (e a ajuda inestimável da Ná Mazzilli)

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

O que você está lendo? #1

Essa é uma coluna mensal que será publicada em todos os dias 20 onde  as colunistas do blog vão contar que livro estão lendo e o que estão achando dele!

Ká Andrade
O que está lendo: Anjos e Demônios - Dan Brown
O que está achando: Já li outros livros do Dan Brown, e acabei de começar Anjos e Demônios. Não estou nem na página 30. Mas, como sempre, esse autor consegue das mais diversas formas envolver seus leitores; a escrita é acolhedora e misteriosa, o que leva com que eu, pelo menos, não pare de ler. Até o momento, a história está ótima e parece prometer muito suspense e ação, o que nunca falta nos livros de Brown.
Quote: -


Ná Mazzilli
O que está lendo: Cidade dos ossos - Cassandra Clare
O que está achando: Estou muito devagar na leitura desse livro porque ele é grosso e não dá pra carregar na mochila. Por enquanto, a história está interessante e divertida, mas ainda não me prendeu completamente. Está até um pouco cansativa, espero que melhore até o final do livro.
Quote: "Todo conhecimento é doloroso."


Nic Kloss
O que está lendo: Coração de tinta - Cornelia Funke
O que está achando: Meu amigo me emprestou esse livro, que eu sempre tive vontade de ler. Apesar de estar em semana de provas no colégio e cheia de trabalhos, não consigo me desgrudar dele! É simplesmente encantador, ler sobre pessoas que respiram livros e o poder das palavras. Uma aventura e tanto, cheia de suspense e ação, e se não continuar assim até o final, vou ficar seriamente decepcionada!
Quote: "Talvez atrás da história impressa haja outra, muito maior, que se modifica como acontece no nosso mundo. E talvez as letras não nos revelem mais do que aquilo que vemos quando espiamos pelo buraco da fechadura. Talvez elas sejam somente a tampa de uma panela que contém muitas coisas além das que podemos ler"


Nah Neves
Não pôde responder.









É isso! Espero que gostem da coluna... E vocês, o que estão lendo?


Beijos, Ná Mazzilli.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Entrevista com Larissa Siriani

Oi galerinha! Tudo bem?


O post de hoje é sobre uma escritora que tem, com muito suor haha, conquistado seu espaço no nosso mundinho! E, eu, Kamila, consegui uma entrevista com a queridíssima Larissa Siriani!






Então, lá vamos nós!


1. Desde que época você já pretendia ser escritora?
Desde criança. Não vou dizer que nunca pensei em ser outra coisa – acho que todo mundo passa pela época em que quer ser veterinário, professor e dentista ao mesmo tempo – mas ser escritora nunca deixou de ser a primeira opção.


2. Qual o seu autor favorito e por quê?
Markus Zusak, por uma série de motivos. Ele é um dos poucos autores que conseguiu me conquistar tanto pelo humor quanto pelo drama. E a narrativa dele é uma coisa muito única, inexplicável.


3. Há algum autor de quem você não gosta?
Não desgosto de nenhum autor, apenas li livros que não me prenderam. A Alyson Nöel foi uma delas. Não gostei do único livro dela que li até agora, mas nem por isso deixo de gostar dela. Precisaria ler mais pra formar uma opinião completa.


4. Você tem três livros de publicação independentemente – Vermelho Sangue, Toda Garota Quer e Ardente Perigo. Como tomou a decisão de publicá-los você mesma? Foi/está sendo difícil?
Eu decidi publicar o primeiro (Toda Garota Quer) pra testar e porque estava cansada das respostas negativas. Resolvi investir naquilo que eu acreditava, e fiz isso com os dois seguintes pra ajudar a espalhar o meu trabalho. É uma decisão difícil, porque automaticamente implica em fazer quase tudo sozinha. Demorei muito pra me tornar minimamente conhecida, mas no final valeu a pena. Não teria tido a mesma recepção com o meu livro novo (As Bruxas de Oxford) não fosse por isso.


5. Pelo que eu li, há um livro seu que foi publicado esse ano pela Editora Multifoco. Como foi toda essa experiência envolvendo “As Bruxas de Oxford”?
Foi diferente e ao mesmo tempo parecido. Receber uma resposta positiva de uma editora me trouxe uma felicidade enorme, mas não foi só felicidade. Até o livro sair, foram quase um ano de trabalho meu e da editora. E por se tratar de uma editora pequena, boa parte da propaganda e divulgação ainda fica por minha conta, sem falar das vendas. De certo modo, ainda trabalho como autora independente – a diferença é que dessa vez tive suporte.


6. Ainda sobre “As Bruxas de Oxford”, você mandou o livro para muitas editoras antes de conseguir um "sim" para a publicação?
Eu honestamente não me lembro! Eu tinha inclusive me esquecido de que tinha mandado pra Multifoco até receber a resposta!


7. Além dos seus quatro livros já publicados, tem mais livros escritos? Estão disponíveis para leitura em algum lugar?
Tenho alguns livros e contos que estão disponíveis pra download na aba “Portfólio” do meu blog: HTTP://larissasiriani.blogspot.com


8.  Tem alguma ideia em mente para próximos livros?
Estou parada por enquanto. Meus esforços estão todos concentrados na continuação do “Bruxas” mas ainda pode demorar até eu terminá-lo. Até lá todas as minhas idéias estão engavetadas.


9.  Por acaso, você ainda encontra muita dificuldade para divulgar seus livros?
Ah, sim. Como eu falei, boa parte desse trabalho eu faço sozinha. Sempre que tenho tempo livre eu fico divulgando através do skoob, do twitter, do facebook e etc, mas não pode ser só isso, né? Tento comparecer a eventos literários sempre que posso pra divulgar também. É melhor porque acho que o leitor se sente mais atraído uma vez que passa a ver o escritor como alguém que realmente existe, e não só uma figura que ele viu na internet.


10. Em sua opinião, qual seria a melhor forma de combater o preconceito com os escritores nacionais?
O melhor jeito é lendo. Acho que ninguém pode combater esse preconceito além do próprio leitor. Enquanto ele não resolver dar uma chance pra um livro nacional, não vai dar chance pra nenhum e pronto. É uma pena que tanta gente ainda desacredite na qualidade dos livros brasileiros, mas essa barreira ninguém pode quebrar por ninguém.


11. Nesse mundão todo tem muita gente sonhando em ser escritor. Quais dicas ou conselhos você dá para quem também quer essa profissão?
Muito estudo, prática e paciência. Acho que é o que mais requer. Paciência pra ler, rever, rabiscar, errar, começar de novo, quantas vezes precisar. Estudo lendo, descobrindo técnicas boas pra melhorar a escrita. E prática porque o primeiro livro de ninguém é bom. É escrevendo que a gente aprende a escrever.


12. Aqui o espaço é seu para deixar qualquer recado ou lembrete e também divulgar seus trabalhos/blogs/etc, é claro!
Bom, primeiro, muito obrigada por esse espaço! Se é importante pra você, imagina pra mim!! Quero convidar todos os leitores a darem uma passadinha no meu blog (HTTP://larissasiriani.blogspot.com), onde além de saberem mais do meu trabalho vocês ainda vão poder dar uma olhadinha em contos e afins, e a me seguirem no twitter (HTTP://twitter.com/larissasiriani) pra ficar por dentro de todas as novidades, promoções e etc! Super beijo pra todo mundo!


E é isso gente. Comentem! Leiam os livros da Larissa! hahaha


Beijos.
Ká Andrade